Fast fashion: See now, buy now!

24.5.16 ∙ , , , , , , , ,
Quando você pensava que a moda não conseguiria ficar mais acelerada, eis que surge o "see now, buy now!", ou seja, "veja agora, compre agora!". Antigamente, os produtos apresentados nos desfiles levavam um tempo (em média quatro a seis meses) até chegar às lojas. Você ficava se contorcendo e esperando ansiosamente todo este tempo para comprar a peça desejada. No entanto, os tempos mudaram e algumas marcas têm colocado produtos da coleção à venda logo após o desfile, horando mais do que nunca o "ready to wear" ("pronto para usar"). 

Os norte-americanos vêem isso com bons olhos, porém as associações francesas e italianas têm opinião negativa sobre o assunto, da qual a estilista Miuccia Prada compartilha: 
Nós pensamos muito sobre isso [a coleção vendida imediatamente após o desfile], mas os jornalistas precisam ver [a coleção], os compradores precisam comprá-la... Até o momento, não conseguimos ver um sentido para isso. Em seis meses, todo mundo fica sabendo de tudo. Certamente, a nossa forma de trabalhar, com tecidos feitos por nós, que levam dois meses para serem criados, dois meses para a produção... Demoramos cerca de quatro meses para produzir tudo do desfile até a chegada na loja, para fazer isso de fato bem. (Vogue Brasil)
Como quase tudo na moda é mais uma polêmica, mas o fato é que diversas marcas já passaram a aderir este posicionamento e separei para vocês alguns casos:

  • DVF: em 14 de fevereiro, Diane von Furstenberg apresentou a coleção cápsula inverno 2017 no New York Fashion Week. Após a apresentação, três vestidos da coleção já estavam disponíveis para venda no e-commerce da marca.
Diane von Furstenberg Winter 2017 (Imagem: Vogue Brasil)
  • Proenza Schouler: também exibida no NYFW deste ano, no dia 17 de fevereiro, a coleção já estava à venda nas lojas físicas e virtuais da grife um dia após o desfile!
Proenza Schouler Winter 2017 (Imagem: Vogue Brasil)
    • Prada: mesmo a contragosto de Miuccia Prada, conforme opinião acima, as bolsas do inverno 2017 foram postas à venda após o desfile realizado no dia 25 de fevereiro. Contudo, o diretor de marketing Stefano Cantino afirmou que não pretende repetir esta experiência, porque a base dos produtos da marca é artesanal e isto leva tempo.
    Bolsas Prada: Prada Pionnière e Prada Cahier (Imagem: Vogue Brasil)
      • Michael Kors: da passarela do New York Fashion Week direto para e-commerce da marca: as peças da coleção de inverno 2017 estavam prontinhas para serem compradas!
      Coleção Michael Kors Winter 2017 (Imagem: Ingrid Grosso)
        • Moschino: a marca italiana colocou algumas peças da coleção Fashion Kills para serem vendidas na Farfetch, quatro dias após o desfile da semana de moda de Milão.
        Moschino Coleção Fashion Kills: moletom, case para celular, bolsa, vestido...
          • Paco Rabanne: sete peças foram disponibilizadas para venda após a exibição da coleção de inverno 2017. 
          Paco Rabanne: duas das peças postas à venda após o desfile (Imagem: Pinterest)
            • Riachuelo: após tanta espera para conferir a coleção assinada pelo Karl Lagerfeld, seria um tortura ter que esperar mais um tempo para poder compras as peças nas lojas, né? Imediatamente após a apresentação, as roupas da coleção foram trazidas nas araras para que pudessem ser compradas!
            Coleção Karl Lagerfeld for Riachuelo à venda logo após o desfile no SPFW (Imagem: FFW)
              • Burberry: a grife britânica também não ficou de fora, na verdade ela foi uma das pioneiras ao e adotar o "see now, buy now", colocando as peças à venda após o desfile.
              Burberry, uma das primeiras marcas a adotar o "see now, buy now" (Imagem: Ian Gavan/Getty Images)


                Além destes exemplos, Tom Ford, Rag & Bone, Vetements e Courréges também aderiram ao "see now, buy now". Para as marcas ainda não um consenso sobre o tema, mas acredito que para os consumidores a decisão é unânime: este modelo tende a crescer cada vez mais e englobar outras grifes e os consumidores agradecem, afinal quanto menos tempo tivermos que esperar, melhor ainda! 


                0 comentários:

                Postar um comentário